Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit?

Vivamus et ullamcorper leo. Mauris eleifend ornare mi. Etiam at orci sollicitudin orci commodo accumsan eget et ligula. Nam congue pellentesque diam, mollis vestibulum enim elementum nec. Ut ultricies ullamcorper justo a ornare. Ut quis rhoncus odio. Sed eget massa nec nisi sollicitudin bibendum vitae eget magna. Fusce vestibulum sapien et odio vestibulum viverra. Sed eu lobortis nunc.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit?

Vivamus et ullamcorper leo. Mauris eleifend ornare mi. Etiam at orci sollicitudin orci commodo accumsan eget et ligula. Nam congue pellentesque diam, mollis vestibulum enim elementum nec. Ut ultricies ullamcorper justo a ornare. Ut quis rhoncus odio. Sed eget massa nec nisi sollicitudin bibendum vitae eget magna. Fusce vestibulum sapien et odio vestibulum viverra. Sed eu lobortis nunc. Nunc fermentum at augue luctus consequat. Sed aliquet ullamcorper odio nec fermentum. Vivamus ut est at justo molestie iaculis.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit?

Vivamus et ullamcorper leo. Mauris eleifend ornare mi. Etiam at orci sollicitudin orci commodo accumsan eget et ligula. Nam congue pellentesque diam, mollis vestibulum enim elementum nec. Ut ultricies ullamcorper justo a ornare. Ut quis rhoncus odio. Sed eget massa nec nisi sollicitudin bibendum vitae eget magna. Fusce vestibulum sapien et odio vestibulum viverra. Sed eu lobortis nunc. Nunc fermentum at augue luctus consequat. Sed aliquet ullamcorper odio nec fermentum. Vivamus ut est at justo molestie iaculis.

ANEURISMAS ARTERIAIS PERIFÉRICOS

Aneurismas resultam da dilatação significativa de um vaso sanguíneo, diâmetro de 1,5 a 2 vezes o normal.  Os aneurismas periféricos são todos aqueles que não afetam a aorta, artéria principal do corpo humano de onde nascem todas as outras artérias.

A localização mais comum dos aneurismas periféricos é na artéria poplítea, que passa por trás do joelho; no entanto, outras artérias, como a femoral, na virilha, a carótida, no pescoço, e as artérias dos braços, também podem ser acometidas.

Existe ainda os aneurismas de artérias que irrigam as visceras,  chamado aneurisma das artérias viscerais, que se formam nos vasos que chegam aos rins, baço, fígado e ao intestino.

Os aneurismas periféricos podem se romper causando sangramento importante ou haver a formação de coágulos que bloqueiam o fluxo de sangue para os membros, para as vísceras ou para o cérebro, causando isquemia.

Além disso, aneurismas maiores podem comprimir um nervo ou uma veia próxima, causando dor, formigamento e inchaço.

Causas

Não se sabe a causa exata dos aneurismas periféricos, embora alguns casos sejam resultado de infecções ou lesões arteriais. Por outro lado, sabe-se que pessoas mais velhas têm uma tendência maior a apresentar o problema, especialmente na faixa etária de 60 a 70 anos.

Tratamento

O tratamento geralmente é cirúrgico, dependendo da localização, do tamanho do aneurisma e da presença ou não de sintomas no momento do diagnóstico.

Aneurismas pequenos e assintomáticos podem ser inicialmente tratados apenas com as recomendações médicas listadas a seguir:

  • Controlar fatores de risco para aterosclerose (placas de gorduras nas artérias);
  • Controlar rigorosamente a hipertensão arterial sistêmica;
  • Caminhar regularmente, para manter o fluxo sanguíneo nas artérias das pernas;
  • Reforçar os cuidados com os pés, higienizando-os regularmente e monitorando ferimentos que não curam (sinal de circulação deficiente);
  • Visitar o médico regularmente para a realização de exames de imagem, a critério do especialista.

Possibilidades de tratamento cirúrgico para os aneurismas periféricos.

CIRURGIA DE PONTE (BYPASS): Esta é a forma de tratamento mais comum para aneurismas periféricos. Durante a operação, um novo caminho para o fluxo sanguíneo é construído através de um enxerto (veia safena ou tubo de material sintético), que é conectado acima e abaixo do aneurisma, desviando o fluxo. O aneurisma pode ser ligado ou ressecado, dependendo da técnica utilizada.

MEDICAMENTOS TROMBOLÍTICOS: São administrados por cateteres inseridos na circulação (via angiografia) com o objetivo de dissolver coágulos em casos de aneurismas com trombose aguda. São utilizados em situações de urgência na tentativa de salvamento do membro para posterior tratamento com cirurgia convencional ou endovascular.

TRATAMENTO ENDOVASCULAR (Colocação de Stent): Embora a aplicação da terapia endovascular em casos de aneurismas periféricos ainda esteja sendo estudada, seu papel pode ser importante para pacientes com condições médicas de risco para o procedimento cirúrgico aberto. Nessas situações, são utilizados stents metálicos revestidos com tecido sintético ou molas para embolização do aneurisma.

Copyright © 2016 - Instituto F. Branco. Todos os direitos reservados.